Óbitos por Covid-19 cresceram 55% no mês de julho em Mato Grosso do Sul

Por Redação 04/08/2022 - 19:21 hs

Dados do Painel Mais Saúde – Covid-19 apontam que 70 pessoas faleceram de Covid-19 em julho, enquanto 45 morreram pela doença em junho de 2022, em Mato Grosso do Sul. 

Portanto, o crescimento é de 55% no intervalo de um mês.

Quatro boletins epidemiológicos da Secretaria de Estado de Saúde (SES), referente ao mês de julho, apontam que as principais comorbidades das vítimas são diabetes, doença cardiovascular crônica, hipertensão, imunossupressão, doença respiratória crônica, obesidade e doença neurológica crônica. 

Um bebê, do sexo masculino, não identificado, faleceu vítima de Covid-19 em 15 de julho de 2022, em Campo Grande. 

Ele testou positivo para a doença em 12 de julho e tinha cardiopatia congênita.

Outro bebê, também do sexo masculino, de dois meses, faleceu em 25 de julho de 2022 no município de Corumbá. A morte da criança está em investigação e foi computada no boletim epidemiológico de agosto.

A gerente Técnica de Influenza e Doenças Respiratórias, Livia de Mello Almeida Maziero, afirmou ao Correio do Estado que a pandemia ainda não acabou e que as pessoas continuam se contaminando.

"Isso reforça que ainda que vacinados, pessoas ainda tem desenvolvido a doença ainda que de formas mais leves após vacinação. É importante o uso de máscara e também as doses de reforço". 

O recorde mensal de mortes ocorreu em abril de 2021, quando 1.408 sul mato-grossenses perderam a vida para a doença.

Já o recorde diário de mortes ocorreu em 12 de junho de 2021, quando 73 pessoas perderam a vida para a doença em um único dia.

O primeiro óbito por Covid-19 ocorreu em 31 de março de 2020, quando uma mulher de 64 anos, residente no município de Batayporã, perdeu a vida para a doença.

O mês de julho contabilizou 11.650 testes positivos de Covid-19, segundo dados do Painel Mais Saúde – Covid-19.

O Estado totaliza 566.348 testes positivos, 10.724 óbitos, 551.597 pessoas curadas da Covid-19 desde o início da pandemia.